Vovó Vigarista

Sofro de algo que chamo de “síndrome de Papai Noel”. Acreditei por muito tempo que absolutamente todos os velhinhos do mundo eram pessoas fofas, boazinhas e, principalmente, com mais experiência de vida do que eu. Os anos passaram e, exceto a parte de terem de fato mais experiência por uma questão básica de matemática, aprendi que isso não funciona pra todo mundo. Pessoas escrotas, por exemplo, se tornam apenas pessoas escrotas com mais idade e, por mais “fofinhos” que pareçam, há velhinhos que já deveriam estar no inferno há tempos (Pinochet feelings). Sim, o tempo me fez ficar mais amarga.

bussola_vovovigarista Só que, lá no fundo (e nem precisa ir tão pra dentro assim), continuo querendo acreditar que há mais gente bacana no mundo do que gentalha, e “Vovó Vigarista”, de David Walliams, é uma delícia de livro para mostrar quão legais as pessoas podem ser (e não importa a idade).

Toda sexta-feira Ben precisa ficar com a avó enquanto seus pais se dedicam a tudo que se refere ao programa de tv “Dançando com Superestrelas”. E isso dá a ele arrepios: ela só gosta de comidas que levem repolho e de fazer cruzadinhas. Ainda por cima, o coloca para dormir cedo, sendo que o outro dia nem é de aula. Ben detesta tanto essa rotina que nem tenta mais ser agradável. Mas tudo muda quando ele encontra sem querer, em um armário da avó, um pote cheio de valiosas joias.

Decidido a descobrir como a avó tem uma quantidade tão grande de pedras preciosas, Ben a segue (ela está conduzindo seu supercarrinho elétrico) uma noite, e a encontra na frente de uma joalheria, vestida com uma roupa colante preta, estudando como abrir a vitrine. É assim que o garoto fica sabendo ser neto da famosa Gata Negra, uma ladra de fama internacional.

O relacionamento dos dois sofre uma transformação completa, e Ben descobre na antes velhinha sem graça uma companheira de aventuras sensacionais, que presta atenção ao que acontece ao menino e respeita seu grande sonho de ser encanador (os pais de Ben não são maus, mas também parecem não ter muito tempo para ele). E é assim que os dois bolam um plano mirabolante para roubar as Joias da Coroa Britânica, que ficam em exposição na Torre de Londres.

Já é bem tocante encarar o fato de que a avó é tão “deixada de lado” pela família quanto o próprio Ben. Mas alguns elementos que passam a fazer parte da trama vão dar um nó ainda maior na garganta do leitor, ao mesmo tempo em que é impossível não rir com o jeito da vovó vigarista mais fofa que alguém poderia sonhar em ter.

David Walliams é um dos autores ingleses infanto-juvenis de maior sucesso dos últimos tempos. “Vovó Vigarista” é seu quarto livro e o segundo a ter Tony Ross como ilustrador. O livro vendeu mais de 400 mil cópias e foi transformado em filme para a tv pela BBC One.

 

Vovó Vigarista
David Walliams, com ilustrações de Tony Ross
240 páginas
Intrínseca

Comente: