Magia de Sangue

Silla Kennicot não está tendo uma vida fácil desde que encontrou os corpos de seus pais envoltos em sangue em sua casa. Para a polícia, seu pai matou a mãe e, depois, se suicidou. A história parece absurda para a menina, que sempre acreditou no caráter do pai, um professor estudioso e amável com a família. Ryan, seu irmão mais velho, tenta lidar com a situação simplesmente seguindo em frente. Junto deles está Judy, segunda esposa do avô de Silla, que veio cuidar dos jovens ao saber o que havia ocorrido, ciente de que eles não tinham mais ninguém com quem contar.

bussola_magiadesangueMas as coisas mudaram desde que ela recebeu um embrulho contendo um livro antigo, aparentemente escrito à mão por seu pai. Em seu conteúdo, diversas receitas de como fazer magia. Magia boa, de regeneração, cura, transferir seu espírito para um animal por algum tempo, esse tipo de coisa. Todas elas têm um ingrediente em especial: sangue. E, parafraseando Luke Skywalker, o sangue parece ser forte na família dela.

Justo em sua primeira incursão pelo cemitério em que seus pais estão enterrados, onde ela revive uma folha morta, Silla é pega em flagrante por Nicholas Pardee, neto do vizinho falecido da casa dos Kennicot. O garoto acaba de se mudar para a casa com seu pai e a madrasta. O encontro é estranho, mas é o suficiente para fazer ambos se interessarem um pelo outro.

Enquanto o relacionamento dos dois se desdobra na escola, Nick vai fazendo uma espécie de terapia regressiva, em que lembra de algumas passagens de sua infância com sua mãe, uma pessoa que em algum momento surtou e sumiu.

Os capítulos do livro seguem mostrando, ora Silla como narradora, ora Nick. E, de vez em quando, mostrando capítulos de um diário, escrito com caligrafia rebuscada, inclusive, de alguém chamada Josephine Darly. E é juntando as peças dessa última personagem que a história se forma de fato.

“Magia de Sangue” é interessante e diferente, talvez por essa construção da trama. Há insights bem bacanas sobre as máscaras que todos usamos para cada etapa/área de nossas vidas, e achei isso realmente bacana como tópico para um livro de fantasia. Uma boa ideia para um fim de semana chuvoso e friozinho.

Magia de Sangue
Tessa Gratton
Rocco
446 páginas

Comente: