Hora Morta (The Murder Notebooks)

bussola_horamortaA boa condição social de Rose destoa da dos demais alunos da escola pública em que estuda, em Londres. Mas isso nem de longe facilita a sua vida. Muitos a tratam mal, e ela prefere ficar na sua, sozinha, boa parte do tempo. Rose mora com a avó. Sua mãe, Kathy, e seu (não oficial) padrasto, Brendan, dois policiais que trabalhavam com casos arquivados, desapareceram há cinco anos, depois de saírem normalmente para jantar. Restaram Rose e Joshua, o filho único de Brendan.

Como nada foi descoberto sobre o sumiço do casal, cada um dos jovens acaba por tomar caminhos diferentes. A avó de Rose a coloca em um internato e Joshua vai morar com um tio em Newcastle. Durante esse período, os dois perdem completamente o contato. Mas logo no início do livro essa situação muda: já faz alguns meses que os dois quase irmãos se reencontraram pela internet e finamente conseguiram marcar seu primeiro encontro.

E é quando está a espera do metrô para chegar ao local combinado para o programa que Rose testemunha o assassinato de Ricky Harris, “colega” escroto da escola. Com o crime, outras pessoas (a maioria tão desagradável quanto o morto) passam a fazer contato com a garota, como Emma, ex-namorada de Ricky, Lewis, Sherry e até um policial, Henry Thompson. Toda a situação faz com que várias vezes Rose se lembre de Rachel, sua antiga melhor amiga da época do internato, sobre quem até o final do livro nada se sabe – exceto que ela também fez Rose sofrer.

Ao mesmo tempo em que a trama do assassinato se desenrola, o tão sonhado reencontro dos irmãos acontece, e Joshua conta a Rose que não desistiu de procurar os pais, chegando inclusive a criar um site para tentar conseguir informações. E que já tem uma pista, por mais tiro no escuro que seja, sobre alguém que se lembra de algo sobre a fatídica noite que separou a família.

Skeggsie, o amigo de Joshua com quem o garoto divide um apartamento, é um hacker do bem que será de suma importância para que tanto a investigação do crime que envolve Rose quanto a do desaparecimento de Kathy e Brendan sigam em frente. Mesmo que saber a verdade não traga paz de espírito, mas só mais dor.

Bom livro policial, que consegue segurar o leitor até o fim e deixa várias perguntas não-respondidas para os próximos títulos (a série “The Murder Notebooks” já tem mais dois livros lá fora – “Killing Rachel” e “Butterfly Grave”). Algumas sequências, como uma que envolve um celular, um evento de homenagem na escola e Rose dando uma de detetive, são particularmente tensas. Há também uma história (“Black Days”) que complementa a trama e que pode ser baixada gratuitamente aqui.

Hora Morta (The Murder Notebooks)
Anne Cassidy
Rocco
320 páginas

Comente: