Um Dia na Praia

umdia_na_praiaTalvez por um sinal da minha cabeça cansada, sedenta por férias, nem precisei virar a capa de “Um Dia na Praia” para me identificar com o personagem, um moço sentado sob o guarda-sol, admirando o mar à frente (e, no caso, “off-camera”).

Fui acompanhando com uma pontinha de inveja e uma empatia imensa a tranquilidade desse rapaz todo verde, que olha os pássaros, estende sua toalha na areia e abre seu guarda-sol diante dos nossos olhos.  Eu ficaria ali, como ele, durante horas, nesse clima de contemplação que cai tão bem na vida e em um livro imagem. Em casos como esse, a ausência de palavras é bem-vinda (vale destacar que no livro, com exceção da contracapa, não há uma letrinha sequer).

E então o personagem encontra um objeto atrás do outro (leia-se: lixo humano) trazido pelas ondas. Sim, há uma mensagem ecológica na história, mas é sutil. Felizmente o contratempo do moço verde não abala sua tranquilidade. Melhor: ele sabe usar o lixo alheio a seu favor (leia-se: viva a reciclagem!), e mantém intacta sua tranquilidade na praia deserta. Ufa!

UmdianaPraia3Antes de terminar, vale dizer que as ilustrações são do talentoso português Bernardo Carvalho, da divertida editora Planeta Tangerina.  “Um Dia na Praia” não tem rococó: os contornos são simples e as cores, fortes. O trabalho é bem interessante – especialmente aquela página dupla do moço sentado na praia olhando para o mar. Ó minha cabeça cansada pedindo férias de novo…

p.s: o livro está na categoria infanto-juvenil, mas acho que não é restrito. Pode ser um bom presente para adultos também.

UM DIA NA PRAIA
Autor: Bernardo Carvalho
32 páginas
Cosac Naify

Comente: