Os 5 melhores lugares para ler

Para onde eu vou ou onde costumo estar quando decido ler um livro? Eu me fiz essa pergunta há poucos dias, no caminho do trabalho para a casa. A ideia veio de conversas diferentes e corriqueiras que eu tive com duas amigas. Uma delas me disse, em tom de lamento, que sobra pouco tempo na sua rotina para ler. A outra comentou o momento feliz que antecede a hora de dormir, quando ela costuma se deitar na cama, ficar em silêncio e dar continuidade ao seu livro.

Essas duas amigas nem se conhecem, mas me levaram a rever a minha rotina. A partir dessas conversas, fiquei pensando como eu acho tempo na correria e aonde vou para levar adiante uma atividade que exige um certo silêncio e atenção. Tudo bem, não é um pensamento de 1 milhão de dólares ou candidato ao Nobel, mas achei divertido listar meus lugares preferidos de leitura. Ah, uma ressalva: nem sempre os lugares preferidos são os lugares em que a gente mais lê. Foi o que percebi nessa importantíssima análise leiturística. Aí vai o top 5.  Se você que está lendo este post pensar nos seus, divida comigo nos comentários!

No metrô/ ônibus: então, como eu esbocei acima, metrô e ônibus não são meus lugares dos sonhos para ler, mas são os que mais me ajudaram a começar e terminar livros no último ano. Considero ambos um lugar só por conta da minha rotina, que inclui os dois meios de transporte para ir ao trabalho e para voltar para casa. Levo cerca de uma hora para ir e uma hora para voltar. Ou seja, são duas horas (na melhor das hipóteses) “livres”. Ler é uma boa maneira de aproveitar o tempo, só que há muitas variáveis envolvidas: se eu consigo um lugar para sentar; se eu estou em pé, se há espaço para eu dobrar o braço e abrir o livro; se eu tomei café da manhã – caso contrário, posso ficar zonza;  se não estou com uma fome imensa que me tira o foco de todas as outras coisas (isso costuma ocorrer no fim da tarde); entre outras. Dito isso, é o lugar onde eu tenho feito a maior parte das minhas leituras. Até desenvolvi um radar que me avisa com certa precisão do ponto em que eu tenho que descer. Fora que ler no metrô/ônibus é um bom termômetro da capacidade de entretenimento do livro. Se der a impressão de que a viagem passou rápido, é um bom sinal.

Na cama: quando aquela minha amiga descreveu a hora em que deita na cama para ler, abriu um balãozinho de imaginação sobre a minha cabeça. Me imaginei em um momento feliz: depois do banho, quando coloco um pijama limpo, deito na cama, entro embaixo das cobertas, ligo o abajur, dou aquela afofada no travesseiro e abro o livro. Se tiver uma taça de vinho na mesinha de cabeceira e um chocolatinho para adoçar a boca… Perfeito! Acho que esse é o meu momento de leitura ideal!

Na rede: tenho uma verde na varanda de casa que sorri para mim todo final de semana. Ela se torna especialmente sedutora no meio da tarde, quando o sol e a sombra se organizam para ocupar uma metade da rede. Eu deixo as pernas do lado do solzinho amigo e abro o livro. Se o momento vier acompanhado de uma cerveja (das boas) e um queijinho para beliscar, é ótimo. A única contraindicação é que, se o dia estiver relativamente silencioso (estamos falando de São Paulo…) e a brisa muito agradável, a leitura pode ser substituída, repentinamente, por uma soneca.

Ao redor da piscina: esse tópico ficou meio “Mulheres Ricas”, mas não há intenção de forçar glamour, juro (se bem que o programa está mais para trash do que glamouroso). Enfim, no prédio de casa tem uma piscina que costumo mais observar da sacada do que frequentar. Mas há os dias que reúnem todas as condições favoráveis e eu vou lá resgatar meu biquíni do ostracismo. Não sou a mais assídua na piscina (de mergulhar na água e tals), gosto mesmo é de abrir um guarda-sol, me esticar na cadeira e abrir um livro.  Pode haver um problema de concentração se o sol e o calor estiverem muito fortes. Ah, e é bom se prevenir dos pulos escandalosos que alguém possa dar na piscina. Algum pingo inconveniente pode cair na sua página.

No sofá da sala: é um lugar meio desfavorável, eu sei, porque há ali uma tradição que pende para a televisão. Parece meio automático, até. Você se senta no sofá e o controle remoto se joga na sua mão. Mas, às vezes, geralmente quando estou sozinha em casa e eu tenho um livro novo, dou aquela esticada no sofá. Bom, vou explicar a última frase. O fato de “estar sozinha” é uma variável importante, porque o sofá da sala não é o lugar mais sensato para se escolher quando você procura estar em silêncio. Pelo menos eu nunca pensei: “Quero ficar quieta, vou para o sofá da sala”. E a parte do livro novo é porque, bem, quando eu compro online e chega o pacote, fica difícil conter a curiosidade. Abro logo a caixa na sala e já quero dar aquela folheada. Comprar online tem me dado esse pequeno prazer. Vibro quando o porteiro diz que tem encomenda na portaria. Chego lá e vejo uma caixa reluzente (apesar de ser um papelão fosco). Parece que ganhei um presente! Eu sei que fui eu que comprei, sei o que está dentro, mas, sei lá, é tão divertido!

4 Comment

    Gustavo

    Faltou o trono, no banheiro!

    21 nov 2012 | Responder

  1. renata

    achei legal a iniciativa do post, mas achei um tanto quanto raso o fato de você só ter selecionado locais de uma casa.
    Se eu pudesse fazer uma lista os meus 5 melhores lugares para ler seriam:

    1- Cama: realmente, nada vence a sua cama, especialmente em dias frios em que você se enrola no cobertor e pode tomar um chocolate quente e comer coisinhas enquanto lê.

    2-Parques: em dias de sol, especialmente durante a semana quando estão praticamente vazios, parques são lugares incríveis para ler. São gostosos e têm uma atmosfera calma. Fica melhor ainda se você consegue achar um daqueles “quiosquinhos”.

    3- Bibliotecas: são ótimas, aqueles cantinhos super isolados são maravilhosos se alguém procura ler em silêncio e sem interrupções. Não precisa necessariamente ser uma biblioteca, mas qualquer lugar que tenha um espaço com liberdade para leitura (como museus, galerias, sei lá)

    4- Praia: ler um livro enquanto escuta o barulho das ondas é uma sensação indescritível. A experiência fica melhor ainda se for durante a tarde, quando a praia não está abarrotada de pessoas.

    5- Numa cafeteria (aka Starbucks). É ótimo, você pode comer e beber coisas delíciosas e a maioria desses lugares sempre tem uns sofás confortáveis.

    Ah e uma observação, não considero o ônibus ou o metrô nem um dos 20 melhores lugares para ler. Acho difícil concentrar quando tem barulho, muitas pessoas entrando, saindo, conversando e ainda o movimento de andar-frear-andar-frear. Isso quando você consegue lugar pra sentar e não fica sendo esmagadx como uma sardinha. hahahah

    Mas essa é minha lista, sei lá :P

    11 mai 2014 | Responder

  1. Top 10: os posts mais vistos de 2012 — Bússola de Livros

Comente: