Cyrano

Estava de bobeira na seção de infantis de uma livraria quando abri esta edição sem nem olhar o título. De cara, uma ilustração de clima melancólico e poético fisgou minha atenção. Nela, três personagens eram mostrados de cima para baixo, sob uma chuva de flores e pétalas vermelhas.  Dois deles, um casal, se abraçava embaixo de um guarda-chuva; o outro olhava de canto para eles, numa expressão tímida e triste.  Afetado por essa figura solitária e pelos tons avermelhados dos detalhes, o conjunto exprimia um clima de tristeza e de suspense – como se algo trágico fosse acontecer.

Ao comprar o livro, descobri logo que o desenho acima não era o único que valia a pena.  As ilustrações da francesa Rébecca Dautremer são caprichadas, cheias de detalhes e transmitem com delicadeza o tom da história. Têm, ainda, tudo a ver com o personagem do título, um homem introvertido que exprime sua paixão pela prima, a bela Roxana, por meio da poesia.

A trama vem da peça clássica do dramaturgo Edmond Rostand, escrita no final do século 19, que já ganhou milhares de versões para o teatro e para as telas. No cinema, duas famosas apareceram vagamente na minha memória: uma é aquela comédia com o Steve Martin (lembro especialmente da cena em que ele tenta tomar champagne numa taça e o nariz comprido e fino não deixa), chamado “Roxanne” (1987); e a mais prestigiada “Cyrano” (1990), filme francês com o Gérard Depardie que foi indicado em várias categorias de premiações importantes como o Bafta, Oscar e César (há um resenha elogiosa do Roger Ebert, em inglês, aqui).

Reprodução do site rebeccadautremer.com

No livro infanto-juvenil, o escritor Tai-Marc Le Thanh usa uma linguagem simples, com parênteses bem humorados e didáticos, para a história que, como indicava a ilustração do início da resenha, tem desdobramentos tristes. Em linhas gerais, conta a saga de Cyrano, um poeta complexado por ter um nariz gigante. Sem coragem de se declarar a Roxana, ajuda o amigo bonito-porém-burro Cristiano a conquistá-la, emprestando sua lábia poética. O plano tem resultado: Cristiano e Roxana se casam, mas os dois rapazes são enviados para a guerra. E Cyrano passa a vida sem revelar a autoria das cartas que escrevia a Roxana, fingindo ser Cristiano.

A história de amor continua bonita, mas talvez pelo recurso do “poeta ajuda moço a conquistar a amada” já ter sido reproduzido várias vezes, não me causou muito impacto.  Ajudou o fato de estar simplificada e, reduzida, não descrever tão bem personagens, como é o caso do poderoso De Guiche, que aparece brevemente apenas para mandar Cyrano e Cristiano para a guerra.

O que deu força à edição foram as ilustrações de Rébecca Dautremer. Tanto o cenário de um país oriental (não informado) quanto os personagens são muito bem acabados e expressivos.  Os figurinos, especialmente os vestidos de Roxana, impressionam pelos detalhes. Formada em artes gráficas em Paris,  a artista é popular na França e costuma trabalhar em parceria com Tai-Marc, seu marido, também artista gráfico. Vale a pena conhecer mais de seus trabalhos no site oficial http://www.rebeccadautremer.com/index/accueil.

Cyrano
Autor: Tai-Marc Le Thanh
Ilustrações: Rébecca Dautremer
Editora: Martins Fontes
32 páginas

One Comment

    1. A Sick Day for Amos McGee — Bússola de Livros

    Comente: