Prazeres Malditos

Sensualidade e muito sangue dominam primeira aventura de Anita Blake

A primeira vista, Anita Blake pode parecer mais uma Buffy (a caça-vampiros) da vida. Mas a moça sequer aceitaria esse título. Anita é uma ressuscitadora, pessoa que, basicamente, usa de rituais elaborados para trazer de volta à vida pessoas mortas. Seu trabalho é normalmente contratado por pessoas que querem ter a oportunidade de pedir desculpas a alguém querido ou requisitado em investigações policiais. Afinal, ninguém melhor do que a vítima para esclarecer detalhes de seu próprio assassinato. E essa é só a ponta do iceberg de “Prazeres Malditos”, livro de estréia de Laurell K. Hamilton. Em St. Louis, onde acontece a trama, os vampiros não apenas existem como são cidadãos com tantos direitos quanto eu e você, garantidos, inclusive, pela Suprema Corte (“True Blood”, alguém?). Se não fosse o bastante, zumbis, lobisomens, homens-rato e outras criaturas também convivem com os humanos. O número de adeptos do vampirismo aumenta a cada dia, graças a esforços como o da Igreja da Vida Eterna e ao estilo de vida dos habitantes do lado boêmio da cidade, representado por Jean-Claude e outros vampiros da boate Prazeres Malditos.

Anita sabe que segurança nunca é demais quando o assunto são os discípulos de Drácula, mas acaba sendo vítima de uma chantagem e precisa ajudá-los a descobrir quem está assassinando cruelmente outros vampiros poderosos da cidade. É assim que ela terá de tratar novamente com o sedutor Jean-Claude (seu velho conhecido) e com Nikolaos, a soberana desse mundo das trevas. Quem pensa que a garota tem à disposição apenas estacas, crucifixos e água-benta, porém, se engana. Anita está sempre armada até os dentes e não hesita em usar suas facas e revólveres para dar cabo de qualquer criatura que coloque a sua vida, ou a de seus amigos, em risco.

Rainha do sarcasmo, a protagonista conquista os leitores logo no início da trama, mesmo que algumas vezes as descrições dos ambientes e pessoas se alongue demais. A sensualidade ligada a essas criaturas da noite também é explorada de forma intensa por Hamilton, o que faz aumentar mais ainda a vontade de saber o que acontecerá com a heroína depois (a série com Anita já possui 16 livros, “Prazeres Malditos” foi originalmente escrito em 1994). A ressuscitadora ganhou também uma graphic novel da Marvel Comics.

Coisas legais:
– Anita conquista por seu sarcasmo afiado e por ‘balançar’ em seus próprios sentimentos várias vezes, mesmo sendo uma espécie de heroína
– O livro foi escrito no meio da década de 1990, muito antes da onda atual de ressurgimento dos filhos de Drácula
– Apesar de a protagonista ser mulher, o livro vai conquistar os marmanjos também: a autora não economiza no sangue e nos detalhes mais, digamos, ‘fortes’

Coisas chatas:
– Algumas descrições de ambientes são um pouco arrastadas. Dependendo de como estiver o seu humor, vai ser duro sair dos primeiros dois capítulos justamente por conta disso

PRAZERES MALDITOS
Autor: Laurell K. Hamilton
Rocco
396 páginas

2 Comment

    Não consigo deixar a impressão de que me lembra demais Ghost Whisperer

    05 jan 2010 | Responder

  1. Vou começar a ler este livro, não estava muito dsposta então vim ‘catar’ alguma coisa na net que falasse a respeito. Adorei a resenha, me deu vontade de ler logo! E obrigada por já me preparar para os 2 primeiros capitulos! rs

    21 fev 2010 | Responder

    Comente: